A felicidade ON e OFF

Desconectar. Um verbo difícil de se conjugar nos dias de hoje, na verdade o que mais se vende na mídia é justamente o contrário: conecte-se! Gosto de tecnologia e também sou um prossional da área de comunicação, portanto, fica praticamente inviável eu optar por ficar off, mas penso que existem maneiras e maneiras de se cultivar um vida digital saudável ou não.

Conheço muitas pessoas que preferem não fazer parte de quase nada que diz respeito à nova realidade virtual, ou seja, mesmo tendo conhecimento não se interessam por redes sociais como Facebook, Twitter, Skype, Orkut ou qualquer outra coisa do gênero, basicamente usam o e-mail e olha lá. Na maioria dos casos são pessoas que não tem paciência para tecnologia e também não tem paciência para o monte de bobagens que o mal uso dessas ferramentas pode provocar. Então, pensando por esse lado, acredito que aqueles que conseguem viver afastados das mídias sociais e ainda assim tem bons contatos profissionais, bons amigos e boas festas de vez em quando, levam uma vida muito mais tranquila, com poucos amigos reais e quase nenhum virtual, eles tem menos exposição da vida privada e as notícias, fofocas e telefones sem fio, que existem desde que o mundo é mundo, só se espalham num pequeno círculo de pessoas.

Já aqueles que não conseguem se manter longe, nem falo dos que estão com alguma patologia digital, falo de gente como eu ou você, que acessa as redes cotidianamente para saber se tem novidades ou não, para ver se alguém lembrou de você, etc, para essas pessoas minha sugestão é que usem a internet apenas para conectar e não para complicar, ou seja, se quero falar com alguém sobre um assunto pessoal ou íntimo no Facebook ou Twitter, sobre ontem à noite ou algo que não diz respeito à outras pessoas, devo ser prudente e mandar uma mensagem privada e jamais expor o assunto num comentário que todos podem ver. Sei que é mais prático e mais rápido, e a proposta das redes sociais é exatamente essa, interação, mas tenho acompanhado coisas bizarras entre amigos no Facebook e Twitter e acho que a noção de algumas pessoas entre a vida privada e a vida digital acaba se confundindo e gerando muitos problemas. Sem querer saber de nada eu acabo sabendo de um monte de coisas…rs, tá tudo lá.

Resumindo, conectar-se nos dias de hoje é fundamental e não se discute, isso se você considera a interação com diversas pessoas como algo importante para sua vida ou atividade profissional, mas se você vive bem com um celular modelo antigo da BCP funcionando e uma caixa postal de e-mail do BOL, pode se considerar privilegiado pelos momentos de silêncio nessa guerra. Seja lá como for, a felicidade também pode ser encontrada no mundo digital, mas jamais poderá se concretizar se você não estiver de fato conectado com o seu mundo e sua vida real.

Boas vibrações!

Anúncios

Um comentário sobre “A felicidade ON e OFF

  1. Não consigo passar um dia sem acessar as minhas coisas… E agora com o meu “bloguinho” (rs), confesso que ando acessando além dos limites, mas vai passar!

    Agora tenho a minha opinião sobre as pessoas que mandam recado púbico ao invés de uma mensagem somente à pessoa… Essas pessoas querem exatamente que as demais fiquei sabendo… Querem fazer ciúmes para um ex, provocar a ex do seu atual e etc… Presencio isso nos meus contatos… Frases “atacando”, comunidades “atacando”, fotos de vários momentos e etc… Mas, como vc mesmo disse, a rede acaba servindo para isso ai…

    Mas, se colocarmos na balança, o lado positivo é muito mais pesado que a atitude dessas pessoas inconvenientes…

    Beijos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s