Sobre o amor, tecnicamente falando.

Ah, o amor…ele pode variar de tamanho e intensidade, nós sabemos disso. Tudo vai depender do momento, das circunstâncias, do alvo, da pessoa a quem dedicamos nosso sentimento e nossas horas de sono, e da forma como entregamos ou absorvemos esse sentimento.

Tecnicamente falando o amor pode ser encontrado nos tamanhos P, M, G e XG, e ainda pode ser flexível e expansível, ou seja, aumentar de tamanho e forma, independente do tamanho original da peça.

Portanto, se a sua história de amor acabou ou se um projeto de vida ao qual você se dedicou de verdade acabou não acontecendo, não há muitas receitas para lhe dizer siga em frente, a gente simplesmente tem que seguir, mas o que posso dizer é que se você investiu amor na relação, na pessoa ou no projeto, mesmo que nem tenha sido do tamanho P, pode ter sido até uma amostra grátis, mas se você investiu amor, você fez a sua parte!

Give love a chance!

A felicidade ON e OFF

Desconectar. Um verbo difícil de se conjugar nos dias de hoje, na verdade o que mais se vende na mídia é justamente o contrário: conecte-se! Gosto de tecnologia e também sou um prossional da área de comunicação, portanto, fica praticamente inviável eu optar por ficar off, mas penso que existem maneiras e maneiras de se cultivar um vida digital saudável ou não.

Conheço muitas pessoas que preferem não fazer parte de quase nada que diz respeito à nova realidade virtual, ou seja, mesmo tendo conhecimento não se interessam por redes sociais como Facebook, Twitter, Skype, Orkut ou qualquer outra coisa do gênero, basicamente usam o e-mail e olha lá. Na maioria dos casos são pessoas que não tem paciência para tecnologia e também não tem paciência para o monte de bobagens que o mal uso dessas ferramentas pode provocar. Então, pensando por esse lado, acredito que aqueles que conseguem viver afastados das mídias sociais e ainda assim tem bons contatos profissionais, bons amigos e boas festas de vez em quando, levam uma vida muito mais tranquila, com poucos amigos reais e quase nenhum virtual, eles tem menos exposição da vida privada e as notícias, fofocas e telefones sem fio, que existem desde que o mundo é mundo, só se espalham num pequeno círculo de pessoas.

Já aqueles que não conseguem se manter longe, nem falo dos que estão com alguma patologia digital, falo de gente como eu ou você, que acessa as redes cotidianamente para saber se tem novidades ou não, para ver se alguém lembrou de você, etc, para essas pessoas minha sugestão é que usem a internet apenas para conectar e não para complicar, ou seja, se quero falar com alguém sobre um assunto pessoal ou íntimo no Facebook ou Twitter, sobre ontem à noite ou algo que não diz respeito à outras pessoas, devo ser prudente e mandar uma mensagem privada e jamais expor o assunto num comentário que todos podem ver. Sei que é mais prático e mais rápido, e a proposta das redes sociais é exatamente essa, interação, mas tenho acompanhado coisas bizarras entre amigos no Facebook e Twitter e acho que a noção de algumas pessoas entre a vida privada e a vida digital acaba se confundindo e gerando muitos problemas. Sem querer saber de nada eu acabo sabendo de um monte de coisas…rs, tá tudo lá.

Resumindo, conectar-se nos dias de hoje é fundamental e não se discute, isso se você considera a interação com diversas pessoas como algo importante para sua vida ou atividade profissional, mas se você vive bem com um celular modelo antigo da BCP funcionando e uma caixa postal de e-mail do BOL, pode se considerar privilegiado pelos momentos de silêncio nessa guerra. Seja lá como for, a felicidade também pode ser encontrada no mundo digital, mas jamais poderá se concretizar se você não estiver de fato conectado com o seu mundo e sua vida real.

Boas vibrações!

A corrente do bem – Faça parte!

Faz algumas semanas vi uma entrevista com a atriz Drica Moraes, que passou recentemente por quimioterapia devido a Leucemia e estava lá toda contente por ter conseguido um doador anônimo, já que na família dela ninguém era compatível. Fiquei emocionado. Uma alegria tão simples de ser alcançada se um número maior de doadores voluntários ajudasse. Há tempos tenho vontade de ajudar, e depois de ter lido um post bem bacana no Blog da Mafê, tomei a iniciativa e fui. Acabo de voltar do Hemocentro e estou me sentindo feliz na plenitude, e ainda nem ajudei de fato…rs. Ainda não fiz a doação exatamente, apenas doei umas gotinhas para fazer parte de um cadastro nacional, em algum momento nessa vida meu telefone vai tocar e, se tudo correr bem, poderei salvar uma vida. Quer felicidade maior que essa?

O restante do texto abaixo foi todo copiado do blog da Mafê, com informações que interessam à todos. Tire suas dúvidas e ajude se tiver condições, você pode se cadastrar para ser um doador ou simplesmente multiplicar a informação. Com certeza essa nossa corrente do bem fará toda a diferença!

  • Mais de 1.200 pacientes aguardam por um doador de medula no Brasil
  • 30% é a chance de compatibilidade de um doador NA FAMÍLIA
  • Ou seja, 70% das chances de um doador estão em pessoas estranhas
  • Para ser doador, basta coletar uma amostra de sangue num HEMOCENTRO e se cadastrar.
  • Você precisa ter entre 18 e 55 anos
  • Se um dia você for compatível com alguém que necessita, será chamado, por isto mantenha sempre seu cadastro atualizado, isto pode levar anos até.
  • O procedimento do transplante é simples, não há TROCA DE ORGÃOS, pontos, nada. Entenda tudo, aqui.

Divulgue, mas vá se cadastrar, ou nem divulgue se não quiser, MAS CADASTRE-SE.

Se das mais de 1.000 pessoas que entraram aqui, 50 se cadastrem como doadoras e destas 50, houver 0,000000001% de chance de uma delas ser compatível com algum dos 1.200 pacientes no aguardo, A GENTE SALVOU UMA VIDA.

Deu pra entender a importância deste simples post?

Links importantes:

Caso já seja um doador, atualize seus dados aqui:  Santa Casa de SP/ HEMOCENTRO

Além de doador apoie a Ass. de Medula Óssea AMEO

Faça um pré cadastro on line

ABRALE -Assc. Brasileira de Linfoma e Leucemia

INCA – Inst. do Cancer

Sociedade Brasileira de Medula Óssea

Hemocentros:

ATENÇÃO:  Para Ser doador de Medula em SP o serviço é feito apenas na SANTA CASA.

Para doação de medula em sua cidade/Estado : Veja relação Aqui: ABRALE

Campinas

Santa Casa de SP

Fundação Pró -Sangue Sp

Em todo Brasil

Teoria do sucesso

Aos 2 anos de idade sucesso é: conseguir andar.

Aos 4 anos sucesso é: não fazer xixi nas calças

Aos 12 anos sucesso é: ter amigos

Aos 18 sucesso é: ter carteira de motorista

Aos 20 sucesso é: fazer sexo

Aos 35 anos sucesso é: dinheiro

Aos 50 anos sucesso é: dinheiro

Aos 60 anos sucesso é: fazer sexo

Aos 70 sucesso é: ter carteira de motorista

Aos 75 sucesso é: ter amigos

Aos 80 sucesso é: não fazer xixi nas calças.

Aos 90 anos sucesso é: conseguir andar.

Simples assim…

[obs: texto recebido via e-mail, autor desconhecido]

O tempo, jóia rara.

O vento sopra forte aqui em minha janela e quando percebo já é outro Natal, outro Reveillon, outro tudo de final de ano novamente. Não é apenas impressão minha, é de quase todo mundo, 365 dias hoje passam muito mais depressa que antigamente. É a velocidade da internet, a validade muito curta de quase tudo, desde os alimentos até os amores, tudo parece perecer em pouco tempo. Daí me pergunto se há uma receita para se viver melhor, se viver mais a vida, aproveitar a família, os amores, os amigos e o dinheiro que às vezes ganhamos a duras penas.

Pensei, pensei, pensei…não há receita. Acredito que quanto mais a gente se preocupa em planejar para aproveitar a vida, aí é que não aproveitamos, pois como já disse algum poeta, “a vida é o que acontece enquanto fazemos planos para o futuro”. É claro que um pouco de prudência e planejamento sempre vai bem, é necessário para tudo nessa vida, inclusive para vivê-la com intensidade, mas aos poucos vou deixando de fazer muitos planos para o futuro, vou me desapegando de coisas e sentimentos, vou vivendo e usufruindo do que está próximo de mim e muitos vezes deixei passar batido, vou pagando uma conta de cada vez, apenas a do mês vigente, mês que vem é outro papo…rs, e assim vou seguindo numa velocidade um pouco mais reduzida. Eu sempre levei a vida em alta velocidade, trafegando pela expressa da marginal a mais de 120 por hora, agora estou na pista local, onde o limite é menor, em breve estarei andando calmamente pela calçada, e com certeza devo chegar a algum lugar, pois devagar também é pressa. Será?

Boas vibrações!