Por onde você anda, rapaz?

É verdade, ando sumido. Na verdade, mais sumido do que gostaria, mas a vida na internet é assim mesmo, às vezes a gente pára um pouco pra viver a vida cotidiana e o tempo nos consome. Mesmo ficando algum tempo sem postar, venho aqui com frequência para ler os recados ou mensagens, às vezes chego e me deparo com nenhum recadinho, nenhuma provocação, reclamação ou sugestão, nem mesmo um simples “oi” anônimo…rs. Acontece que o blog dispõe de uma ferramenta que diz quantas pessoas passaram por aqui e mesmo que não deixem recado, acabo ciente de que um montão de gente passou e não disse nada. Talvez tenha apenas conferido a agenda de sambas, vai me ouvir em algum lugar por aí, talvez tenha vindo na expectativa de encontrar um novo texto, uma palavra de incentivo, de safadeza, de amor ou de sacanagem, enfim, as pessoas passam por aqui pelos mais diversos motivos e ainda que não expressem suas idéias, às vezes leio nas entrelinhas a pergunta “por onde você anda, rapaz?”.

Na pretensão absurda de que uma parte dos leitores talvez esteja interessada ou pelo menos preocupada com meu bem estar, minha sanidade mental, minha voz, minha música e minha pseudo criatividade literária, digo-lhes que estou bem, obrigado. Tenho twittado mais do que blogado, venho tentando ler coisas de Freud (mas tá Freud!…rs), ao mesmo tempo em que leio a trilogia Millenium (estou no volume 2), tenho ouvido Vivaldi, Bach, Raul Midon, Stevie Wonder, Marisa Monte, Arlindo Cruz e mais um monte de coisas que enfiei no meu iPod, tenho trabalhado como jornalista num projeto que está me consumindo, mas que deve acabar em breve…rs, tenho andado bastante de metrô por opção, e também tenho cantado meus pagodes sempre que a vida me oferece essa oportunidade, e graças ao bom Deus, ela ainda não é rara. Tenho colocado meu coração à prova em situações diversas e surreais, mas de modo geral ele tem reagido bem, coitadinho.

Enfim, estou ausente sim, me desculpem, mas essa aqui continua sendo a minha casa, na verdade, a sala da casa, ou pra ficar melhor, minha varanda gourmet com churrasqueira e vista pra marginal do Tietê, um lugar pra gente jogar conversa fora e outras coisinhas mais. Mas mesmo com essa linda vista, tenho ficado muito tempo fora. Portanto, se você passar por aqui, mesmo que dê a impressão de lugar abandonado, não se vá sem dizer nada, deixe um bilhetinho embaixo da porta, eu leio quando eu voltar.

Boas vibrações!

No twitter: @Sall2010