Silêncio

Se eu não lhe disser nada, não me manifestar de alguma forma, não emitir um sinal de fumaça, não me declarar, me expor, não lhe der ao menos uma dica, você jamais saberá o que se passa em minha mente, jamais entenderá a profundidade do lago escuro que é o meu coração, jamais poderá imaginar a grandeza ou a pequenez do meu sentimento, jamais decifrará se o que sinto é verdadeiro ou falso, se tenho saudade, raiva, desejo intenso ou apenas um leve tesão por você.

Se eu nada lhe disser, lhe dou o direito de imaginar o que bem quiser a respeito do meu silêncio. Você poderá entendê-lo como desprezo, como indiferença, como fuga, alternativa, opção, como a melhor saída, enfim, poderá interpretá-lo como bem entender, e mesmo que você consiga chegar bem perto do que pode ser a verdade sobre o silêncio, se eu nada lhe disser, sua interpretação não tem validade pra mim. Por essas e outras que entre calar e falar eu prefiro falar, mesmo que magoe, mesmo que eu pareça ridículo, mesmo que seja demais, mesmo que você não me dê ouvidos, mesmo que eu tenha que eventualmente falar entre lágrimas. O calar me faz sentir aprisionado, limitado, engasgado, incompleto, incompetente, talvez um covarde, me traz um arrependimento maior do que eu posso ter, caso chegue à conclusão de que falei demais. 

Por fim, entendo que o silêncio se faça necessário em corredores de hospital, durante os cultos religiosos, em reuniões de trabalho quando o chefe está falando, quando os mais velhos narram seus conselhos e experiências, quando o professor fala, quando um burro fala e quando devemos baixar nossas orelhas.  Existe a hora e o momento adequado para o silêncio, mas entre nós dois não cabe mais esse intervalo, é melhor falar tudo, falar agora e  não ficar pensando em calar para sempre, portanto, chega de silêncio, chega de meias palavras, na verdade está na hora de dar um grito: Eu te amo, porra!

Pronto, falei. Mas se você preferir, não diga nada, fique em silêncio…você é quem sabe.

Trilha Sonora

Anúncios

Timing

Olá, Sall! Conheci um cara ótimo e em duas semanas acho que me apaixonei demais, em 14 dias aconteceu tudo que poderia acontecer numa vida inteira entre nós, estava perfeito, mas agora ele está sem graça, me dá perdidos e nem parece mais o mesmo. Veio com um papo de que perdemos o timing, que porra é essa? Me ajuda!”  Lili Ventura- SP

Do inglês é algo que podemos traduzir como “cronometragem”, mas há uma outra tradução muito interessante que é “afinação”. Essa é a palavra que muitas vezes pode definir se um relacionamento amoroso vai ou não pra frente, é necessário que a sintonia seja mútua.

O que ontem era uma excelente novidade e talvez uma chance promissora de relacionamento, de repente perde a graça, o brilho, desfaz-se o entusiasmo, mas é de repente mesmo, é como se a melodia de fato desafinasse. As pessoas dizem que vão ligar e não ligam nunca mais, ficam de mandar um e-mail e somem, inventam mil desculpas para tentar justificar o repentino desinteresse porque simplesmente não sabem explicar o que aconteceu. Um dia a pessoa acorda e não tem mais a menor vontade de marcar um encontro ou ligar pra você. Acontece.

Essas coisas fogem do nosso simples entendimento, existem as leis cósmicas, espirituais, emocionais, sexuais e tantas outras, que regem as oportunidades de relacionamentos entre as pessoas. A gente não sabe explicar, mas às vezes simplesmente não rola, todos nós já passamos por isso. É claro que é uma pena, demora tanto para aparecer alguém interessante e quando achamos que apareceu, a coisa não se afina. Enfim, quando uma das partes perde o timing, não adianta tentar resgatar imediatamente, em alguns casos é necessário que a vida dê muitas voltas para que esses ponteiros se acertem. Se do seu lado existe disposição e vontade e do outro só existe indiferença, seja forte para assumir que o tal do timing está realmente desandado, ajuste seu relógio para uma próxima oportunidade e siga em frente.

Para compartilhar sua dúvida ou sugestão de texto, envie um e-mail para : contatosall@hotmail.com

Pensando bem (versão masculina)

IE042-015

Não é possível que eu não tenha prestado atenção nesses detalhes esse tempo todo, sim, é verdadade, porque olha só, a gente já saiu, já rolou beijo, rolou intimidade, enfim, toda vez que saímos eu penso que chegou a hora, mas de repente você some. Estou sempre dando um jeito de mandar um e-mail, um torpedo, enfim, eu sempre me faço presente de alguma forma, faço convites para baladas, uma simples pizza ou um suco perto da sua casa, e você nunca me dá bola. Não sou do tipo galã, mas tenho meu charme, sou limpinho, converso sobre temas diversos, estou antenado, gosto de bons perfumes, roupas transadas, frequento academia, vou ao dentista regularmente, tenho bom hálito e bom gosto para música, livros e filmes, corto as unhas, não tenho pêlos na orelha nem no nariz, ou melhor, tenho sim, mas sempre cortadinhos, mesmo assim na maior parte do tempo a gente só se esbarra por aí.

Eu já fiz uma faculdade, talvez faça outra, estou sempre buscando formas de progredir na vida, tenho um carro legal, não ouço funk no último volume e nem fico tirando racha pelas avenidas,  não sou profissinal, mas sei dançar juntinho,  não curto drogas, bebo moderamente e jamais fico totalmente chapado nas baladas. Na cama eu sou do tipo que entra em harmonia com você, se quiser uma coisa louca ficaremos loucos, se preferir mais tranquilo, faremos com o mesmo tesão. Eu tenho emprego e endereço fixo, pago minhas contas em dia, gosto de família, adoro praia, churrasco, toco algumas músicas no violão, não arrumo briga à tôa, sou do bem, mas sempre me decepciono com os tipos de homem que mais despertam seu interesse.

Pra falar a verdade, eu também tenho algumas fãs, sim, afinal de contas sou um cara bacana e algumas dariam tudo pra namorar comigo, me paqueram, me assediam por aí, me apresentam para seus amigos e até para os pais em algumas ocasiões, mas no final é sempre atrás de você que eu acabo indo. Quer saber? Hoje eu decidi me colocar no seu lugar para tentar entender suas atitudes e cheguei a conclusão de que você tem razão em agir assim, inconscientemente você sabe que não vai dar conta. Pensando bem, eu sou demais pra você.  

Para ouvir minha narração desta crônica, clique no link a seguir: http://www.gengibre.com.br/cast/V1BFGGFP0