Pra dizer nada

 

E pra quê serve um blog afinal?

Às vezes serve pra mandar um recado sutil, serve pra desabafar, também para compartilhar dores, amores, alegrias e tristezas. Serve para eu conhecer a sua opinião, saber o que você pensa sobre coisas que eu penso, que eu vi, ouvi, ou vivi por aí, serve para saber se você ainda pensa em mim e para dizer que penso em você. Serve para alertar sobre algum perigo iminente, para cutucar os acomodados, para eu acariciar o meu ego, para exercitar a escrita, para agradar alguns e desagradar outros. Serve para matar a saudade e noutras vezes para despertar a saudade que já resolveu ficar quietinha.

 

Um blog é uma página em branco que fica me provocando, fica me perguntando seu eu tenho algo pra dizer, é companheiro nas madrugadas de insônia, é usina de criação e de questionamentos, é um lugar pra falar bobagens, portanto, às vezes venho aqui apenas para saber se você também veio, se deixou um recado, se criticou, elogiou ou sugeriu alguma coisa, enfim, muitas vezes não tenho nada pra dizer, mas sem querer eu já disse.

 

Boas vibrações para todos!

Anúncios

O primeiro passo

 

Pra sair do lugar, sair da cama, para pequenas, médias e longas caminhadas, pra iniciar uma corrida, talvez uma São Silvestre um dia. Pra falar umas verdades, pra mudar de emprego, montar o próprio negócio, pra fritar um ovo na hora da fome, começar uma faculdade ou terminar o que ficou pendente, pra subir uma escada, abrir a janela ou montar uma banda de rock, enfim, alguém tem que dar o primeiro passo.

 

Pra compor uma canção, escrever um livro, experimentar um mergulho ou um pára-quedas, pra romper a timidez, mandar aquele e-mail, dar aquele telefonema pra dizer “oi” ou “desculpa”, pra reatar aquela velha amizade, voltar a falar com alguém que é importante pra você, para desfazer um mal entendido, para se declarar, para expor idéias e mudar os rumos, enfim, alguém tem que dar o primeiro passo.

 

Pra fazer um convite, marcar um encontro, pegar na mão, dar o primeiro beijo, pra tirar a primeira peça de roupa, permitir a intimidade, desvendar os segredos do corpo, pra começar um namoro e pedir em casamento. Pra terminar o namoro ou o casamento, finalizar histórias, virar a página, para escrever e ser autor da própria história e não apenas um personagem, para todas as mudanças, experiências e transformações dessa vida, alguém tem que dar o primeiro passo.

E você? Vai ficar aí parado(a)?

.

Boas vibrações para todos!

Dicas de amnésia

Evite caminhar por aquela determinada rua, mas se tiver que passar por lá, mude de calçada pelo menos. Encontre novos bares e novas baladas onde você possa se divertir, mas evite os antigos lugares. Se possível, troque o número do seu celular, e não renove alguns números da agenda antiga, só pra não cair na tentação. Pode navegar pela internet à vontade, mas nada de fuçar no orkut alheio para ver aquelas fotos que vão te deixar pra baixo, te deixar com ciuminho bobo, te deixar se remoendo de ódio. Delete os e-mails arquivados, as declarações antigas, os presentinhos de cada ocasião, e se você tiver bastante coragem, queime fotos, rasgue cartas, faça uma doação de tudo que possa lhe remeter ao passado. Nunca mais ligações de feliz natal, feliz isso e aquilo outro. Nada de contato social com pessoas da família que um dia quase foi sua, talvez apenas por educação, mas seja breve, sem muitos detalhes, ok? Seguindo essas dicas e apagando todas as possibilidades de lembranças você com certeza vai esquecer para sempre, correto?!?

Errado. Essa amnésia voluntária está acima do nosso controle. A memória é traiçoeira, ela é na verdade como um grande baú. A gente pode esvaziar, jogar tudo fora e virar de cabeça pra baixo pra ter certeza de que não sobrou nada e encher com novas tranqueiras, a gente só não pode esquecer que todo baú que se preze sempre tem lá um fundo falso, e aí é que mora o perigo.

Boas vibrações para todos!

O amor e os limites da paciência

– Mulher – Onde você vai?
> Homem – Vou sair um pouco.
> Mulher – Vai de carro?
> Homem – Sim.
> Mulher – Tem gasolina?
> Homem – Sim…. coloquei.
> Mulher – Vai demorar?
> Homem – Não… coisa de uma hora.
> Mulher – Vai a algum lugar específico?
> Homem – Não… só rodar por aí.
> Mulher – Não prefere ir a pé?
> Homem – Não… vou de carro.
> Mulher – Traz um sorvete pra mim!
> Homem – Trago… que sabor?
> Mulher – Manga.
> Homem – Ok… na volta eu passo e compro.
> Mulher – Na volta?
> Homem – Sim… senão derrete.
> Mulher – Passa lá, compra e deixa aqui..
> Homem – Não… melhor não! Na volta… é rápido!
> Mulher – Ahhhhh!
> Homem – Quando eu voltar eu tomo com você!
> Mulher – Mas você não gosta de manga!
> Homem – Eu compro outro… de outro sabor.
> Mulher – Aí fica caro… traz de cupuaçu!
> Homem – Eu não gosto também.
> Mulher – Traz de chocolate… nós dois gostamos.
> Homem – Ok! Beijo… volto logo….
> Mulher – Ei!
> Homem – O que?
> Mulher – Chocolate não… Flocos…
> Homem – Não gosto de flocos!
> Mulher – Então traz de manga prá mim e o que quiser prá você.
> Homem – Foi o que sugeri desde o começo!
> Mulher – Você está sendo irônico?
> Homem – Não tô não! Vou indo.
> Mulher – Vem aqui me dar um beijo de despedida!
> Homem – Querida! Eu volto logo… depois.
> Mulher – Depois não… quero agora!
> Homem – Tá bom! (Beijo.)
> Mulher – Vai com o seu ou com o meu carro?
> Homem – Com o meu.
> Mulher – Vai com o meu… tem cd player… o seu não!
> Homem – Não vou ouvir música… vou espairecer…
> Mulher – Tá precisando?
> Homem – Não sei… vou ver quando sair!
> Mulher – Demora não!
> Homem – É rápido… (Abre a porta de casa.)
> Mulher – Ei!
> Homem – Que foi agora?
> Mulher – Nossa!!! Que grosso! Vai embora!
> Homem – Calma… estou tentando sair e não consigo!
> Mulher – Porque quer ir sozinho? Vai encontrar alguém?
> Homem – O que quer dizer?
> Mulher – Nada… nada não!
> Homem – Vem cá… acha que estou te traindo?
> Mulher – Não… claro que não… mas sabe como é?
> Homem – Como é o quê?
> Mulher – Homens!
> Homem – Generalizando ou falando de mim?
> Mulher – Generalizando.
> Homem – Então não é meu caso… sabe que eu não faria isso!
> Mulher – Tá bom… então vai.
> Homem – Vou.
> Mulher – Ei!
> Homem – Que foi, cacete?
> Mulher – Leva o celular, estúpido!
> Homem – Prá quê? Prá você ficar me ligando?
> Mulher – Não… caso aconteça algo, estará com celular.
> Homem – Não… pode deixar…
> Mulher – Olha… desculpa pela desconfiança, estou com saudade, só isso!
> Homem – Ok, meu amor… Desculpe-me se fui grosso. Tá.. eu te amo!
> Mulher – Eu também! Posso futricar no seu celular?
> Homem – Prá quê?
> Mulher – Sei lá! Joguinho!
> Homem – Você quer meu celular prá jogar?
> Mulher – É.
> Homem – Tem certeza?
> Mulher – Sim.
> Homem – Liga o computador… lá tem um monte de joguinhos!
> Mulher – Não sei mexer naquela lata velha!
> Homem – Lata velha? Comprei pra a gente mês passado!
> Mulher – Tá..ok… então leva o celular senão eu vou futricar…
> Homem – Pode mexer então… não tem nada lá mesmo…
> Mulher – É?
> Homem – É.
> Mulher – Então onde está?
> Homem – O quê?
> Mulher – O que deveria estar no celular mas não está…
> Homem – Como!?
> Mulher – Nada! Esquece!
> Homem – Tá nervosa?
> Mulher – Não… tô não…
> Homem – Então vou!
> Mulher – Ei!
> Homem – O que ééééééé, caralho?
> Mulher – Não quero mais sorvete não!
> Homem – Ah é?
> Mulher – É!
> Homem – Então eu também não vou sair mais não!
> Mulher – Ah é?
> Homem – É.
> Mulher – Oba! Vai ficar comigo?
> Homem – Não vou não… cansei… vou dormir!
> Mulher – Prefere dormir do que ficar comigo?
> Homem – Não… vou dormir, só isso!
> Mulher – Está nervoso?
> Homem – Claro, porra!!!
> Mulher – Porque você não vai dar uma volta para espairecer?
> Homem – Ah, vai tomar no cú…

Texto recebido por e-mail. Autor não identificado.