Resignado e mudo

missygaidoallen.jpg 

De longe ele sente o que você pode estar sentindo. Na maioria das vezes ele realmente está longe, e é essa distância que o torna tão sensível, tão ligado a você, apesar de fisicamente longe demais. Ele pode sentir quando você passa noites em claro, quando você tenta buscá-lo através dos seus sonhos, ele também consegue, de vez em quando, manipular os próprios sonhos e encontrar com você em algum lugar escondido no canto da imaginação. O amor evolui para algo mediúnico, é parecido com a sensação que os irmãos gêmeos dizem sentir, ou seja, sabem quando o outro está em perigo, sentem quando algo está para acontecer. Em algumas ocasiões é pertubador, noutras é acalanto. É exatamente assim que alguns amores evoluem, quando não se completam nessa vida, partem do plano físico para um plano espiritual, o plano da imaginação, uma quarta dimensão talvez, um lugar onde ainda é possível dividir a emoção de estar junto, de sentir o cheiro do corpo, o prazer do toque, a vertigem de um beijo, a emoção da entrega. As chances desse amor poder estar ao seu lado algum dia já são praticamente remotas ou nulas, e exatamente por isso ele sente uma necessidade enorme de libertar você de qualquer amarra e de também se sentir livre, mas logo ali, no campo da sensibilidade e de uma conexão inexplicável, ele estará caminhando contigo, tocando seu rosto, te desejando as coisas boas da vida, velando teu sono e seguindo te amando, sempre. Assim que é.

Maria da Penha

boneco-violence.jpg 

Se tem uma coisa que eu não suporto é homem que bate em mulher. Guardadas as devidas proporções, todos temos momentos de raiva e dá vontade de dar uns tapas mesmo, tanto mulheres quanto homens, às vezes tiram o outro do sério, mas a questão aqui é muito mais grave. Estou falando daqueles que chegam as vias de fato, a violência doméstica que assola mulheres por todos os cantos desse país, e engana-se aquele que pensa que isso só acontece nas casas mais humildes. Já vi casos de meninas lindas, de boa família, boa situação financeira e tudo mais, se sujeitarem à situações de maus tratos que começam com ceninhas bobas de ciúmes e terminam muito mal.

Parece que é sempre necessário aparecer com um olho roxo, e a velha desculpa do tombo na escada, para que as pessoas percebam, mas nem só de porrada forte se alimenta essa violência. São empurrões, uma puxada mais forte no braço, um “vai tomar no c…” e um olhar de fúria que às vezes faz a mulher se calar e se anular para sempre. E repito, isso pode estar acontecendo logo aí, do seu lado, com sua amiga da faculdade, com a moça da limpeza, com a tia do café, com sua professora, sua psicóloga, sua manicure, enfim, toda mulher pode ser vítima, mas toda mulher também pode denunciar e fazer um futuro diferente. Não quero discutir porque algumas mulheres resistem à essa situação, são mil explicações e cada caso é um caso, mas na minha modesta opinião, vale mais a denúncia do que conviver sob o mesmo teto com um rato covarde apenas pelos filhos, a família, o amor(?), o aluguel e sabe-se lá mais o quê.

Antes de denunciar é sempre bom tentar conversar com a vítima, como diz o ditado, a gente não deve simplesmente “meter a colher”, mas as  delegacias especializadas em mulheres estão prontas para orientar e atender, sempre amparadas pela lei Maria da Penha, (clique no link) criada a partir da história de uma cearense que podia muita bem ser sua vizinha, sua amiga, sua prima, sua irmã, sua mãe…

DENUNCIE!

Foto: flickr.com/nando.rivero

Ninguém vai tomar o seu lugar

A máxima “ninguém é insubstituível” pode se aplicar em muitos casos, principalmente nas histórias de amor, quando levamos um pé na bunda ou dispensamos alguém. Obviamente que alguns amores passam por nossas vidas e deixam apenas saudades, outros deixam decepções e preferimos esquecer, alguns não provocam nem uma coisa nem outra, simplesmente acabam.

O que costumo reparar, em algumas ocasiões, é que, às vezes até de forma inconsciente, algumas pessoas estipulam o padrão de companheiro(a) que mais lhe atrai e parece que só funciona se for com aquelas características. Explico: o cara namora uma, digamos, nissei, apaixona-se e acredita que encontrou a mulher de sua vida. Um dia a história acaba e o sujeito fica se martirizando pra sempre, ele até vai se envolver com outras mulheres, loiras, mulatas, ruivas, enfim, de todos os modelos, mas na cabeça dele fica um modelo de felicidade, tem que ser nissei, tanto que se ele der a sorte de encontrar outra parecida e compatível, não deixa escapar por nada.

Com mulheres a mesma coisa, a paixão da vida dela foi aquele pretinho básico, bom de conversa, cheiroso, que pegava de jeito, mas um dia a história acabou. Daí lá vai a moça viver suas aventuras, beija alemão, playboy, bombadinhos e pitboys, até que aparece outro pretinho básico e na cabeça dela o modelo de felicidade se completa.

É claro que isso não é uma regra, principalmente em matéria de amor, os casamentos  estão aí para provar isso, ou seja,  podemos encontrar a felicidade nos lugares mais inusitados e ao lado de pessoas que jamais imaginamos compatíveis, mas não se pode negar que os gostos, preferências e experiências que vivemos, muitas vezes moldam um padrão de felicidade. A gente até se casa, tem filhos e tudo mais, afinal, nem sempre é fácil encontrar outra nissei maravilhosa ou um pretinho básico, mas já estamos cansados de ouvir que ninguém é insubstituível, pois no fundo do coração às vezes temos a certeza de que algumas pessoas realmente são. Ou não? Diz aí você…

Boas vibrações para todos!!!

É por essas e outras…

lilasouza.jpg 

34.677 . Esse é o número de visitas que o meu querido “blogdosall” recebeu nos seus curtos 8 meses de vida, desde que mudei de endereço. É claro que fico contente e orgulhoso, às vezes um texto não gera comentários, não atinge a marca esperada, etc, e realmente dá a impressão de que ninguém está lendo…rs, dá uma vontade enorme de não escrever mais nada, afinal, quem canta quer ser ouvido, que interpreta quer ser visto, quem escreve quer ser lido, certo? 

Pelos cálculos são em média 144 acessos por dia, gente que vem ver se tem novidades, gente que cai aqui por acaso, outros que vem por indicação, o que é sempre muito bom, e com certeza todos são bem vindos, mas a grande verdade é que praticamente 98% dos comentários nos textos são deixados pelas mulheres. Sempre elas!

É por essas e outras que  quero deixar registrado o meu agradecimento às queridas leitoras que comentam, que trocam idéias, que divulgam, que copiam textos, enfim, que estão sempre por aqui. Sintam-se ternamente abraçadas. Nesse Dia Internacional das Mulheres eu só desejo que cada uma de vocês possa encontrar o seu próprio jeitinho de ser e ficar feliz, encontrar companheiros(as) que possam ser merecedores da sua companhia, que saibam lhe tratar com simplicidade, que encham sua banheira e sua vida de flores, que possam lavar seus cabelos ou fazer uma massagem nos pés de vez em quando, porque no fundo, no fundo, a gente só quer isso mesmo, ser feliz e fazer alguém feliz, sem muitas milongas, sem muitas grifes ou receitas de sucesso, mas há que se ter um bocadinho de sorte. Portanto, boa sorte, sempre!

Meu beijo e minhas flores para todas vocês!

Meninas! Be happy!!!

 

Rapidinhas

Vacilão – O barato quase sempre sai caro, essa máxima a gente só leva à sério quando somos a vítima. Deixei de guardar o carro no estacionamento da balada, e achei uma vaguinha na rua mesmo; economizei 15 reais e ganhei uma multa por não ter visto uma placa atrás da árvore…rs, deve ser de uns 120 reais, que tal a economia?

Carência – um amiga reclamou que tem momentos de solidão em que você resolve dar uns telefonemas, ouvir a voz de pessoas distantes, gente que um dia já foi muito importante ou simplesmente te fez feliz por uns tempos. Ás vezes é ótimo e saímos felizes após desligar o telefone, noutras vezes o simples jeito da pessoa dizer “ah, é você? tudo bem?” já te deixa arrependido de ter ligado…rs. Nessas horas é melhor um camisa de força. Contenha-se!

Ressurreição – O tio Silvio Santos resolveu ressuscitar o bom e velho programa “Aqui Agora”, que fez história na televisão brasileira com suas matérias bizarras, apresentadores e repórteres toscos. Infelizmente agora esse programa é apenas mais um na telinha. O Datena foi sondado para ser o apresentador no SBT, mas ele mesmo declarou em entrevista à Folha que não aguenta mais esse tipo de programa(!). Imagine se nós aguentamos.

Flex Power – é triste, é uma tragédia, aliás, mais uma no espaço aéreo brasileiro. Um avião cai com quatro passageiros na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Tudo indica que abasteceram a aeronave com querosene ao invés de gasolina. Apesar de também ser um combustível, o querosene pode ter sido a causa do acidente.