The last post of the year

O Natal já está batendo na porta e ainda não tive tempo de escrever um post decente para cumprimentar todos os meus leitores e amigos, conhecidos e anônimos, próximos e distantes. Me desculpem, serei apenas breve nas minhas considerações.

Não estou de fato muito inspirado para mensagens de final de ano que enchem sua bola e ficam pregando que o ano que vem será melhor. Na teoria é como se pudéssemos zerar tudo no dia 31 e recomeçar no dia 1º, mas na prática não muda quase nada, sai o camisa 7, de 2007, e entra o camisa 8, ou seja, o jogo continua com gás total, portanto, aproveite alguns dias de descanso e de possibilidades de sair do regime, divirta-se com familiares e amigos, compre presente pra você e para os outros, ajude alguém que não vai ter nada nesse natal, uma cesta básica não vai te fazer falta, seja generoso, agradeça pelo seu pão de cada dia, faça suas preces e orações de acordo com sua religião e busque ser sempre uma pessoa melhor e não uma pessoa mais rica.

Pra terminar, um pequeno texto que diz: “Se você for tentar, tente de verdade. Caso contrário nem comece. Isso pode significar perder namoradas, esposas, parentes e empregos. E talvez a sua cabeça. Isso pode significar não comer nada por três ou quatro dias. Isso pode significar congelar num banco de praça. Isso pode significar gozação, escárnio e isolamento. Isolamento é uma dádiva. Todo o resto é teste de resistência. De quanto você realmente quer fazer isso. E você vai fazer isso, enfrentando rejeições das piores espécies. E isso será melhor do que qualquer coisa que você já imaginou. Se for tentar, tente de verdade. Não há outro sentimento melhor que isso. Você estará sozinho com os deuses. E as noites vão arder em chamas. Você levará sua vida direto para a risada perfeita. Essa é única boa briga que existe. Se você for tentar, tente de verdade. (Charles Bukowski)”.

Boas Vibrações! Feliz Natal e um ótimo 2008 para todos!!!

Anúncios

Pensamento recorrente

anime.jpg 

Na verdade não é sempre… é só quando cai uma chuva e eu estou com insônia vagando pela casa, é só quando estou fuçando minhas gavetas e encontro velhas fotos e agendas, é só quando faço compras no shopping, somente quando penso em ir ao Playcenter ou ao Hopi Hari, só quando vou ao McDonalds ou quando resolvo tomar uma coca-cola, só quando eu tomo banho, seja ele quente ou frio, somente quando ando pelo calçadão da Praia Grande ou de uma outra praia qualquer, namorando as ondas, observando as crianças e os vendedores ambulantes em seus trajes de TeleTubbies,  somente quando o trânsito da cidade pára, somente quando vou cortar os cabelos ou quando resolvo ir até a academia, somente nas minhas caminhadas vespertinas, pois nas matinais continuo dormindo, só quando resolvo ir em algum lugar com música ao vivo, pode ser do tipo voz e violão, ou de repente um pagode daqueles, somente quando vou ao cinema numa quarta-feira ou num domingo antes do samba, só quando vou em festas sociais, do tipo reunião de família, só quando como lasanha na casa de qualquer pessoa, somente quando vejo filmes em casa mesmo, largado no sofá, usando pijamas e camisetas velhas, somente quando estou em frente ao computador, só quando acordo e somente quando vou dormir, só quando assisto novelas ou quando volta o Big Brother Brasil, só quando ouço música  romântica nas  madrugadas,  somente num determinado mês e dia, só quando meu pé fica gelado durante a noite, só quando peço pizza ou frango xadrez pelo telefone, só quando surge uma promoção para escolher um número de celular para falar de graça para sempre, somente quando os motéis ficam lotados aos sábados, só quando chove, só quando faz frio, só quando venta e só quando faz muito calor, somente quando eu não quero… na verdade não é sempre, mas de vez em quando ainda penso muito em você.